Política

Ódio a Lula é \"o outro lado do caudilhismo\", diz Ciro Gomes

O pré-candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, esteve na Rádio Metrópole na manhã desta quarta-feira (1º) e em entrevista á Mário Kertész atribuiu a grande oposição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ʹoutro lado do caudilhismo e o ʹódio de classesʹ. De acordo com o pedetista, o grande inimigo de Lula foi o ódio de classes. [Leia mais...]

[Ódio a Lula é \
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Laura Lorenzo no dia 01 de Novembro de 2017 ⋅ 14:30

O pré-candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, esteve na Rádio Metrópole na manhã desta quarta-feira (1º) e em entrevista á Mário Kertész atribuiu a grande oposição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ʹoutro lado do caudilhismo e o ʹódio de classesʹ. De acordo com o pedetista, o grande inimigo de Lula foi o ódio de classes.

De acordo com o pedetista, a tentativa do petista se tornar um grande líder onipotente para a população, seguido acabou dando errado no momento em que ele cometeu seu primeiro grande erro: eleger Dilma Rousseff como sua sucessora. \"Um lado é o ódio de classe, o outro é a sensação de engano. Essas providências de crédito, melhoria de renda, levaram 40 milhões de brasileiros pro consumo. É o outro lado do caudilhismo: se eu quero que o povo acredite que eu sou o dono da verdade e de mim depende a sorte, no dia que eu falho, o povo não acredita mais. E aconteceu. Esse camarada, pelo êxito que vivia, achou que estava em uma rampa de ascensão social para sempre. De repente, vem uma presidenta, nomeada pelo Lula, ninguém sabia quem era. E ela diz: ʹperaí, negada, desce todo mundo, que a festa acabouʹ. Aí todo mundo começa a escorregar da rampa, começa a descer\", afirmou ele.

Ciro também atribuiu boa parte da aversão à Lula ao ʹódio de classeʹ do ʹbaronatoʹ. \"Primeiro, tem um ódio de classe. Porque a grande burguesia brasileira, a plutocracia, que ganhou horrores com ele, ganhou o que ninguém ganhou. Perderam tudo com o Fernando Henrique e batem palma pra ele. O tamanho da goela dessa fração mais egoísta da população brasileira, que não tem nenhum sentimento social. \"Não tem conversa: é ódio mesmo\", completou.

Notícias relacionadas