Política

Henrique Alves chora em depoimento e diz que Cunha orientou abertura de conta

O ex-presidente da Câmara e ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) chorou nesta segunda-feira (6) enquanto prestava depoimento por videoconferência ao juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira. O peemedebista encontra-se preso desde junho e é réu no âmbito da Operação Sépsis, um desdobramento da Operação Lava Jato que investiga um suposto esquema de corrupção comandado pelo PMDB na Caixa Econômica Federal.[Leia mais...]

[Henrique Alves chora em depoimento e diz que Cunha orientou abertura de conta]
Foto : Beto Oliveira/Agência Câmara

Por Matheus Simoni no dia 06 de Novembro de 2017 ⋅ 17:22

O ex-presidente da Câmara e ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) chorou nesta segunda-feira (6) enquanto prestava depoimento por videoconferência ao juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira. O peemedebista encontra-se preso desde junho e é réu no âmbito da Operação Sépsis, um desdobramento da Operação Lava Jato que investiga um suposto esquema de corrupção comandado pelo PMDB na Caixa Econômica Federal.

Durante o depoimento, Alves contou informações sobre a existência de uma conta bancária aberta no banco Merrill Lycnh, em Nova York (EUA), em 2008. Segundo o ex-ministro, ele nunca movimentou essa conta e até se esqueceu de sua existência, confirmando ainda que ela servia para contornar a disputa familiar em torno da herança do pai dele.

O peemedebista explicou que decidiu abrir a conta porque o casamento estava em crise e vivendo "altos e baixos". Por questões familiares, o ex-ministro destacou problemas que estava ocorrendo entre ele e os irmãos em torno do inventário do pai, proprietário, por exemplo, de meios de comunicação.
"Alguns irmãos até entraram com processo contra isso. E, por sugestão de Eduardo Cunha, no final de 2008, abri a conta", afirmou, acrescentando que a conta serviria para "blindar esse clima familiar".

Notícias relacionadas