Política

Rui volta a cobrar empréstimo de R$ 600 mi: ʹMaior problema do NE está no âmbito politicoʹ

O governador Rui Costa (PT) voltou a cobrar o empréstimo de R$ 600 milhões junto ao Banco do Brasil, barrado pelo governo federal, mesmo após publicação no Diário Oficial da União, em agosto deste ano. [Leia mais...]

[Rui volta a cobrar empréstimo de R$ 600 mi: ʹMaior problema do NE está no âmbito politicoʹ]
Foto : Carlos Gibaja / Governo Ceará

Por Luiza Leão no dia 05 de Dezembro de 2017 ⋅ 17:15

O governador Rui Costa (PT) voltou a cobrar o empréstimo de R$ 600 milhões junto ao Banco do Brasil, barrado pelo governo federal, mesmo após publicação no Diário Oficial da União, em agosto deste ano.

Durante participação nesta terça-feira (5) no encontro \"Diálogo Público: Nordeste 2030 – Desafios e caminhos para o desenvolvimento sustentável\", promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), em Fortaleza, o gestor estadual ampliou a questão para o âmbito regional.

\"É necessário que os estados do Nordeste tenham uma ação conjunta de suas bancadas para enfrentar a discriminação vivida hoje pela região, pois o maior problema do Nordeste não está no âmbito técnico, mas no âmbito político\", declarou Rui Costa.

De acordo com o petista, as conclusões do Relatório Sistêmico da Região Nordeste (Fisc Nordeste) apresentado pelo presidente do TCU, ministro Raimundo Carreiro, indicam \"tratamento discriminatório\" recebido pelas unidades federativas nordestinas em relação ao Sudeste.
\"O alto endividamento de São Paulo está sendo financiado pelo contribuinte brasileiro, inclusive do Nordeste\", exemplificou, ao acrescentar: \"Já os estados nordestinos, apesar do baixo endividamento, não conseguem obter empréstimos com o aval do governo federal\".

Comentarios

Notícias relacionadas

[Supremo libera a volta do programa Internet para Todos]
Política

Supremo libera a volta do programa Internet para Todos

Por Clara Rellstab no dia 17 de Julho de 2018 ⋅ 13:40 em Política

"Esse programa é fundamental para desenvolvimento regional, para inclusão social e para alavancar o país", afirmou em nota o ministro Gilberto Kassab