Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Senado aprova quarentena de 3 anos para ex-juízes e ex-procuradores advogarem

O texto foi proposto pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) depois da polêmica gerada pela atuação do ex-procurador Marcelo Miller. Integrante da Lava Jato, ele deixou o Ministério Público no início de 2017 e logo em seguida ingressou no escritório de advocacia Trench Rossi Watanabe. Miller é suspeito de ter atuado na defesa do grupo JBS pelo escritório quando ainda integrava o Ministério Público Federal. [Leia mais...]

[ Senado aprova quarentena de 3 anos para ex-juízes e ex-procuradores advogarem ]
Foto : Divulgação

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Março de 2018 ⋅ 07:20

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (14) um projeto que obriga integrantes da magistratura e do Ministério Público cumprirem uma quarentena de três anos antes de exercerem advocacia privada. Para ter validade, a proposta precisa agora do aval da Câmara dos Deputados.

De acordo com a Folha, o projeto aprovado nesta quarta modifica o estatuto da advocacia. O objetivo, de acordo com o autor, é evitar que integrantes do Ministério Público ou da magistratura utilizem informações privilegiadas obtidas em função dos cargos que ocupavam em benefício da atuação na advocacia.

O texto foi proposto pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) depois da polêmica gerada pela atuação do ex-procurador Marcelo Miller. Integrante da Lava Jato, ele deixou o MP no início de 2017 e logo em seguida ingressou no escritório de advocacia Trench Rossi Watanabe. Miller é suspeito de ter atuado na defesa do grupo JBS pelo escritório quando ainda integrava o Ministério Público Federal.

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"