Política

ʹMeus adversários sabem que vou vencer as eleiçõesʹ, diz Lula

Questionado por Mário Kertész sobre sua condenação no TRF-4, Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que gosta de "se ater aos aspectos políticos". [Leia mais...]

[ʹMeus adversários sabem que vou vencer as eleiçõesʹ, diz Lula ]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Matheus Morais e Gabriel Nascimento no dia 15 de Março de 2018 ⋅ 08:30

Questionado por Mário Kertész sobre a condenação a 12 anos de prisão pelo TRF-4, Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que gosta de "se ater aos aspectos políticos".

O petista reafirmou que vai ser candidato à Presidência da República e apostou que irá vencer as eleições. "Agora eu quero ser candidato, vou ser candidato e a preocupação é que os meus adversários sabem que eu vou vencer. O povo sabe o que aconteceu", argumentou.

"O dado concreto é que a Suprema Corte cometeu um equívoco em um momento histórico em tirar das próprias mãos o direito de ser a última instância, como reza a Constituição. Ou seja, um cidadão tem que ser julgado em todas as instâncias para depois provar da sua culpa, ser condenado e cumprir o que for determinado", ressaltou, em entrevista à Rádio Metrópole.

"Nesse caso, estamos vivendo um país à parte, subordinado à Lava Jato. Há uma súmula no TRF4, são várias legislações. O TRF4 aprovou que ele julgando a pessoa está condenada. A Suprema Corte precisa reparar esse absurdo. Qualquer cidadão tem direito de se defender até a última instância. O que eu quero é que julgue o mérito do meu processo. Sou vítima de uma mentira atrás de outra mentira. A primeira veio com o power point dizendo que o PT nasceu para ser uma organização criminosa e que, pelo fato de Lula ser mais importante, era o chefe, e que eu montei o governo para roubar. Quando termina de apresentar, o cidadão diz que tem convicção. Só o fato de ter dito isso ele deveria ter sido julgado pelo conselho nacional do MP, ser exonerado de suas funções. Tem que ter muita responsabildiade", completou.

Lula voltou a dizer que só quer defender a "inocência e honra" dele. "Quero que prove a culpa. A sentença do [Sérgio] Moro não tem pé, nem cabeça. Tem documentos assinados por mais de 200 advogados. Você tem a opinião pública condenando a determinação. Quando entramos com o recurso, ele disse que não tinha dito que eu era dono na sentença, mas me condenou a nove anos. Quero que comprove tudo. Se eu estiver certo, vamos ter que tomar outra atitude. Você não pode ter MP mentindo...", apontou.

Notícias relacionadas