Política

Candidato defende 'menos partidos e voto facultativo' e admite que PSDB está 'fragilizado'

Geraldo Alckmin é apoiado pelo grupo de partidos chamado "centrão", composto por DEM, PP, PR, PTB, PPS, PRB e SD

[Candidato defende 'menos partidos e voto facultativo' e admite que PSDB está 'fragilizado']
Foto : Ciete Silvério / Divulgação

Por Evilásio Júnior / Gabriel Nascimento no dia 28 de Setembro de 2018 ⋅ 09:28

Embora apoiado pelo grupo de partidos chamado "centrão", composto por DEM, PP, PR, PTB, PPS, PRB e SD, o presidenciável tucano Geraldo Alckmin defendeu a redução no número de legendas existentes atualmente no Brasil: "Há 35 partidos e não tem nenhum forte, todos estão fragilizados. É preciso autocrítica".

Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, o candidato do PSDB admitiu que a sigla dele está “fragilizada” com as denúncias de corrupção, mas ressaltou que a situação atinge todas as agremiações políticas. Ele disse que aprovou a autocrítica feita pelo senador Tasso Jereissati (PSDB), que se manifestou contra a presença dos tucanos no governo do presidente Michel Temer (MDB).

"É preciso autocrítica. Até gostei da autocrítica do Tasso [Jereissati]. E a reforma política é inadiável. Precisamos agir nas causas, porque a política brasileira faliu. O modelo está exaurido. Defendo menos partidos, voto facultativo e voto distrital misto”, disse.

Sem decolar nas pesquisas, o presidenciável justificou os números pelo fato de ter demorado para entrar na campanha. “Até o mês de abril, eu só me dediquei ao governo do Estado. Eu costumo me empenhar fortemente aquilo que faço e tento fazer. Fui prefeito da minha cidade natal, mergulhei lá seis anos de trabalho intenso, bairro por bairro para melhorar a vida da população. Como governador, a mesma coisa. Quando saí, você já tinha Lula, na época uma candidatura forte, e Bolsonaro anos e anos percorrendo”, comparou.

Notícias relacionadas

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL