Política

Neto chama de ‘intriga’ suposta debandada de Ronaldo: ‘Com Geraldo até o fim’

Sobre a possibilidade de apoiar Bolsonaro num eventual segundo turno, Neto demonstrou que não pretende apoiar o candidato do PSL

[Neto chama de ‘intriga’ suposta debandada de Ronaldo: ‘Com Geraldo até o fim’]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni e Rodrigo Daniel Silva no dia 02 de Outubro de 2018 ⋅ 21:58

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), negou a existência de uma debandada do candidato ao governo do estado pelo DEM, José Ronaldo, para o lado de Jair Bolsonaro (PSL). Em entrevista antes do debate na Rede Bahia, o democrata classificou como intriga a tentativa de colocar o ex-prefeito de Feira de Santana ao lado do capitão reformado do Exército. 

"Não adianta esse tipo de intriga. Nós estamos fechados com Alckmin. É o meu candidato. Respondo por mim e pelo presidente nacional do partido. Ouvi os discursos de Zé Ronaldo, inclusive no evento que fizemos apoiando Alckmin. Se ele mudou, ele deve dizer que mudou. A mim ele não disse. Isso é intriga", afirmou Neto. 

Sobre a possibilidade de apoiar Bolsonaro num eventual segundo turno, Neto demonstrou que não pretende apoiar o candidato do PSL. "Se o eleitor de Bolsonaro quiser votar em José Ronaldo, pode votar. Ninguém vai impedir isso. Agora, posso falar pelo DEM da Bahia e do Brasil, eu sou o presidente. Nós estamos fechados com Geraldo até o fim, independente do resultado. O que me faz estar fechado com Geraldo é minha convicção. O apoio que foi dado foi o apoio pensando no melhor para o Brasil", afirmou. "Caso o eleitor não siga esse caminho, nós vamos respeitar a vontade do eleitor, a democracia é isso, e vamos tomar uma posição para o segundo turno", finalizou.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro tira Joice Hasselmann de liderança do governo ]
Política

Bolsonaro tira Joice Hasselmann de liderança do governo 

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Outubro de 2019 ⋅ 14:15 em Política

Joice foi escolhida líder do governo em fevereiro, pela indicação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)