Política

Empresários compram pacotes de mensagens contra o PT pelo WhatsApp

De acordo com a Folha de São Paulo, cada contrato chega a R$ 12 milhões

[Empresários compram pacotes de mensagens contra o PT pelo WhatsApp]
Foto : Reprodução/iStock/Getty Images

Por Marina Hortélio no dia 18 de Outubro de 2018 ⋅ 08:20

Em ação ilegal, empresas que apoiam o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) compram pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp. O grupo prepara uma grande operação na semana anterior ao segundo turno.

De acordo com a Folha de São Paulo, cada contrato chega a R$ 12 milhões e a Havan está entre as empresas que adquiriram o serviço.

A prática é considerada ilegal por se tratar de doação não declarada à campanha e por ser realizada por empresas.

O serviço, que é chamado "disparo em massa", usa como base a lista de usuários do próprio candidato ou dados vendidos por agências de estratégia digital. Prática que também é ilegal, pois a legislação eleitoral proíbe compra de base de terceiros.

Entre as companhias que prestam o serviços estão a Quickmobile, a Yacows, Croc Services e SMS Market.

Notícias relacionadas

[PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido]
Política

PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido

Por Metro1 no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 18:44 em Política

Sigla destaca que é a única com 98% de votações favoráveis ao governo federal e que não compactua com eventuais desgastes

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL