Política

PSOL volta atrás e desiste de pedido para suspender Whatsapp

Partido quer que TSE adote as medidas que entender necessárias para coibir abusos na eleição

[PSOL volta atrás e desiste de pedido para suspender Whatsapp]
Foto : Roberto Jayme/ Ascom /TSE

Por Metro1 no dia 19 de Outubro de 2018 ⋅ 06:26

Depois de pedir ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suspender o Whatsapp, o PSOL voltou atrás e desistiu, segundo o jornal O Globo.

Em nova manifestação enviada à Corte, o PSOL pede agora que o TSE adote as medidas que entender necessárias para coibir abusos na eleição, como por exemplo a aplicação de multa.

O partido argumenta que "notícias falsas, difamatórias, mentirosas e de ódio " têm sido divulgadas por meio do aplicativo e têm ajudado "a definir opções de voto e manifestações de apoio a determinados candidatos"

A ação foi ajuízada pelo PSOL após a Folha divulgar que empresas têm comprado pacotes de envios em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp e preparam uma grande ação para a próxima semana, antes do domingo de eleições do segundo turno.

Na primeira representação, o PSOL dizia que, se fosse necessário, o TSE deveria manter o app "suspenso em todo o território nacional a partir de sábado, dia 20/10/18, até o fim das eleições". 

Notícias relacionadas