Política

TSE responde menos de um terço das ações para tirar conteúdo da web

O levantamento aponta que, de 37 ações, 11 foram atendidas pelos ministros, que defendem a "liberdade de expressão" na maioria das justificativas das ações

[TSE responde menos de um terço das ações para tirar conteúdo da web]
Foto : Roberto Jayme/Ascom/TSE

Por Matheus Simoni no dia 25 de Outubro de 2018 ⋅ 13:40

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atendeu menos de um terço dos pedidos de remoção de conteúdo da internet feitos pelos candidatos à Presidência da República. O mapeamento foi feito pela agência Broadcast, do jornal Estado de S. Paulo. O levantamento aponta que, de 37 ações, 11 foram atendidas pelos ministros, que defendem a "liberdade de expressão" na maioria das justificativas das ações.

A análise das decisões foi feita com base nas ações levantadas pela área técnica do tribunal. De acordo com a assessoria do TSE, o recorte é dos processos que contêm a expressão "fake news" no objeto da ação.

"Existem muitos pedidos mal formulados, que se fossem deferidos implicaria censura. Na dúvida, o TSE optou por preservar e garantir a liberdade de expressão", avalia Thiago Tavares, presidente da associação SaferNet Brasil e integrante do conselho do TSE que trata de fake news.

Notícias relacionadas