Política

Procuradoria Eleitoral de Minas investiga possível abuso de poder econômico de Zema

A averiguação busca apurar se Zema se aproveitou das empresas para favorecer a então pré-candidatura

[Procuradoria Eleitoral de Minas investiga possível abuso de poder econômico de Zema]
Foto : Divulgação/TV Globo

Por Marina Hortélio no dia 25 de Outubro de 2018 ⋅ 17:20

A Procuradoria Regional Eleitoral de Minas Gerais pediu que fossem realizadas investigações em ao menos 41 cidades do estado para apurar se houve abuso do poder econômico por parte do candidato do Novo ao governo, Romeu Zema.

A averiguação busca apurar se Zema, que é dono de mais de 400 lojas e emprega 5 mil funcionários no estado, se aproveitou das empresas para favorecer a então pré-candidatura.

Em ação movida pela campanha do adversário, Antonio Anastasia (PSDB), a juíza auxiliar Claudia Aparecida Coimbra Alves, do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, determinou, no dia 10 de setembro, que Zema retirasse a propaganda com o próprio nome e imagem do interior das lojas e dos caminhões da rede.

A magistrada considerou que houve propaganda irregular e fixou multa de R$ 50 mil por dia de descumprimento, com o limite de R$ 800 mil.
 
À Folha, Zema afirmou que não utilizou as lojas para promover a candidatura e que se preocupou em não fazer campanha nos estabelecimentos.

Notícias relacionadas