Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Congresso vai deixar rombo de R$ 259 bi para Bolsonaro

Levantamento do jornal Folha de S. Paulo aponta efeitos de pautas aprovadas pelos parlamentares às vésperas do fim da legislatura

[Congresso vai deixar rombo de R$ 259 bi para Bolsonaro]
Foto : José Cruz / Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 10 de Novembro de 2018 ⋅ 07:20

Os deputados e senadores da atual legislatura devem deixar um impacto de ao menos R$ 259 bilhões nas contas públicas para o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), segundo levantamento do jornal Folha de S. Paulo. O valor é relativo aos efeitos, para os próximos quatro anos, de dez projetos aprovados ou que avançaram no Congresso em 2018. 

Embora haja um teto que contém a expansão de gastos, os parlamentares impulsionaram propostas que vão na direção contrária. É o caso do aumento de 16% nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que leva a reajustes em todas as esferas do serviço público. O custo anual da medida é de R$ 5,3 bilhões, segundo a consultoria de Orçamento do Senado. Outra pauta aprovada nesta semana foi a medida provisória do Rota 2030, que estabelece incentivos fiscais a montadoras de veículos.

Há, ainda, a liberação da venda direta de etanol das usinas aos postos de combustíveis (custo de R$ 2,4 bilhões ao ano), além de benefícios para transportadoras (R$ 9 bilhões), derrubada de vetos para autorizar o refinanciamento de dívidas de pequenas empresas (R$ 7,8 bilhões em dez anos) e reajuste salarial a agentes comunitários de saúde (R$ 4,8 bilhões).

Notícias relacionadas

[Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado]
Política

Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado

Por Augusto Romeo no dia 13 de Abril de 2021 ⋅ 08:40 em Política

Aliados do governo preparam ofensiva, e ala do STF tenta maioria para que comissão só precise ser instalada após fim da pandemia