Política

Candidatos à presidência da OAB debatem sobre as ações anti-corrupção na Ordem

O debate ocorreu na edição de hoje (19) do Jornal da Cidade Segunda Edição

[Candidatos à presidência da OAB debatem sobre as ações anti-corrupção na Ordem]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Marina Hortélio no dia 19 de Novembro de 2018 ⋅ 17:58

A transparência das ações e contratos da Ordem dos Advogados da Bahia foi tema de uma das perguntas do candidato à presidência da OAB-BA, Gamil Föppel, direcionada ao oponente, Fabrício Castro, no debate de hoje (19), na Rádio Metrópole.
 
Ao ser questionado sobre as ações contra a corrupção na Ordem, Castro afirmou que a sua gestão foi a que começou a tratar o tema compliance. "A Ordem tem feito sim um grande trabalho nessa parte", disse. Sobre a afirmação de suposto beneficiamento de empresas na OAB, Fabrício negou ter preferências e que todas as contratações são realizadas com cotação ao menor preço.
 
O candidato da Avança OAB ainda alfinetou o opositor da Renova OAB ao afirmar que ele deveria contribuir mais. "É preciso que você entre em uma linha da gente discutir as propostas e não fique apenas criticando", disse.
 
Na réplica, Föppel alegou ser perseguido pela atual gestão. Ele ainda apontou que, apesar da Ordem possuir uma comissão de compliance, é necessário criar um programa contra a corrupção. "Ordem precisa ter um programa de compliance efetivo, de fiscalização. A Ordem precisa ser exemplo para sociedade civil e não continuar permitindo que políticas de compadrio continuem acontecendo", afirmou.

Notícias relacionadas