Política

MBL cogita criar o próprio partido

Grupo criado em 2014 como "apartidário" elegeu dois deputados em 2018

[MBL cogita criar o próprio partido]
Foto : Divulgação

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Novembro de 2018 ⋅ 08:20

Após eleger três coordenadores para cargos no Legislativo - Fernando Holiday como vereador de São Paulo, em 2016, e Kim Kataguiri e Arthur do Val, como deputados federal e estadual nas eleições deste ano - e conseguir apoiadores na Câmara e no Senado, o Movimento Brasil Livre (MBL) considera a possibilidade de ter um partido próprio.

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, a cúpula do movimento se reuniu após o primeiro turno das eleições para discutir a ideia. Segundo Holiday, "as pessoas gostam de identificar seus ideais com um número".

A opção mais viável, para os líderes do MBL, seria adotar uma legenda que tenha sido impedida pela cláusula de barreira (norma que restringe o funcionamento parlamentar ao partido que não alcançar determinado porcentual de votos). Mas, caso o plano não funcione, o grupo não descarta fundar um partido do zero.

O Movimento Brasil Livre foi criado em 2014. À época de sua fundação, o grupo se dizia "apartidário" e sem ligações financeiras com siglas políticas. Em 2016, foi divulgado que o MBL recebeu financiamento de partidos para realizar atos a favor do impeachment de Dilma Rousseff (PT).

Notícias relacionadas