Política

Rui se reúne com governadores do nordeste para redigir carta a Bolsonaro com demandas da região

O governador da Bahia pede ao governo federal que pague sua parcela nas obras realizadas no estado

[Rui se reúne com governadores do nordeste para redigir carta a Bolsonaro com demandas da região]
Foto : Divulgação

Por Lara Ferreira no dia 21 de Novembro de 2018 ⋅ 15:20

Os governadores no nordeste se reuniram hoje (21) em Brasília e escreveram uma carta ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para colocar em pauta temas pendentes de seus respectivos estados. 
 
Entre os principais assuntos, está a retomada de obras que foram paralisadas. No caso da Bahia, a questão é a falta de pagamentos de alguns desses serviços. O governador Rui costa argumenta que o estado arcou com suas parcelas e com a verba que era de responsabilidade do governo federal em grandes obras, como o metrô de Salvador. 
 
“A União, hoje, só para as obras do metrô, falta repassar R$ 180 milhões e nós tivemos que arcar com recursos próprios para não deixar a obra paralisar. Não deixamos parar diversas outras obras, tendo que colocar recursos próprios enquanto não chegavam recursos do governo federal. Vai ficando uma situação quase que insuportável suprir todas as ausências de pagamento do governo federal para obras estruturantes do estado”, afirmou Rui. 
 
Ainda entre as demandas redigidas na carta, os governadores pedem um Pacto Nacional pela Segurança; Reequilíbrio do Pacto Federativo; Desbloqueio de Operações de Crédito dos Estados; alteração no Fundeb, com ampliação financeira da União; e externaram também a preocupação com alterações no Mais Médicos. 
 
Os chefes de Estado solicitaram encontro com o presidente eleito para que a carta seja entregue em mãos.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro tira Joice Hasselmann de liderança do governo ]
Política

Bolsonaro tira Joice Hasselmann de liderança do governo 

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Outubro de 2019 ⋅ 14:15 em Política

Joice foi escolhida líder do governo em fevereiro, pela indicação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)