Política

Operação Sem Fundos: funcionários da Petrobras e ‘terceiros’ eram beneficiários de propina 

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Federal

[Operação Sem Fundos: funcionários da Petrobras e ‘terceiros’ eram beneficiários de propina ]
Foto : Tânia Rêgo/Agência Brasil

Por Alexandre Galvão no dia 23 de Novembro de 2018 ⋅ 07:55

A Operação Sem Fundos, deflagrada hoje (23) pela Polícia Federal, aponta que o PT, funcionários da Petrobras e do fundo Petros eram beneficiários da propina extraída do contrato fraudulento de construção e aluguel do prédio Torre Pituba, em Salvador. 

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Federal. Segundo o órgão, os investigados direcionavam parte dos recursos obtidos desses valores a maior para pagamento das propinas, utilizando de artifícios para ocultar e dissimular a origem e destino do dinheiro ilícito.

As penas somadas podem chegar ao total de 50 anos de prisão e multa. A operação foi autorizada pela juíza federal Gabriela Hardt, substituta na 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.

Segundo a PF, são 68 mandados de busca e apreensão, 14 de prisão temporária e oito de prisão preventiva. As ordens judiciais são cumpridas nos seguintes estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia.

Corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta de fundo de pensão, lavagem de dinheiro e organização criminosa estão entre os crimes investigados nesta nova etapa da operação.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, a operação foi batizada de "Sem Fundos". O nome faz referência ao uso do fundo Petros, de Seguridade Social, que investiu na execução da obra para alugar o prédio à empresa estatal por 30 anos.

Notícias relacionadas