Política

Segurança do Enem deverá ser mudada caso presidente queira ver prova antes, diz ministro

A declaração vem após o futuro ministro, Ricardo Vélez Rodríguez, dizer que "ninguém vai impedir" Bolsonaro de ver a prova, caso ele queira

[Segurança do Enem deverá ser mudada caso presidente queira ver prova antes, diz ministro]
Foto : Valter Campanato / Agência Brasil

Por Daniel Brito no dia 27 de Novembro de 2018 ⋅ 17:00

O ministro da Educação, Rossieli Soares, disse hoje (27) que os procedimentos de segurança do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) precisarão ser revistos caso o presidente eleito Jair Bolsonaro queira ter acesso à prova antes dela ser aplicada. 

“Se o presidente eleito vai ou não vai ver a prova, caberá a eles, a partir de 1º de  janeiro, entender qual o modelo de gestão”, afirmou. A declaração vem após o indicado para o ministério no governo eleito, Ricardo Vélez Rodríguez, dizer que "ninguém vai impedir" Bolsonaro de ver a prova, caso ele queira. 

Rossieli disse também que a responsabilidade da gestão do exame é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), e que nem os integrantes do Ministério têm acesso à prova.

Ainda segundo o ministro, após elaborada, a prova fica em uma sala-cofre e só deixa o local para ser levada à gráfica, escoltada por policiais federais. “Existe um processo, um procedimento, que precisará ser revisto para que isso aconteça, mas caberá a eles a partir de 1º de janeiro”, completou.

 

Notícias relacionadas