Política

Em acordo de leniência, CCR relata caixa 2 a campanhas tucanas

Dentre os mencionados estão os ex-governadores Geraldo Alckmin e José Serra e deputado Campo Machado (PTB)

[Em acordo de leniência, CCR relata caixa 2 a campanhas tucanas]
Foto : Wilson Dias/Agência Brasil

Por Marina Hortélio no dia 29 de Novembro de 2018 ⋅ 15:00

Um acordo de leniência fechado entre o Grupo CCR e o Ministério Público de São Paulo relata caixa 2 de pelo menos 30 milhões de reais para campanhas eleitorais de ex-governadores e deputados de São Paulo.

Pelo menos 15 políticos são citados no termo, que foi denominado Auto Composição para Ato de Improbidade. Dentre os mencionados estão os ex-governadores Geraldo Alckmin e José Serra e deputado Campo Machado (PTB).

A concessionária vai pagar um multa de R$ 81 milhões, dos quais, R$ 17 milhões vão ser destinados, na forma de doação, para a Biblioteca da Faculdade de Direito da USP.

No acordo de leniência, a CCR, uma das maiores empresas de concessão de infraestrutura da América Latina, admitiu ter repassado valores “por fora” aos políticos do PSDB, PT, MDB, PTB e outras agremiações.

A primeira etapa da investigação apura o caixa 2 eleitoral. O próximo passo da investigação deverá abranger a área criminal.

Notícias relacionadas