Política

Ex-auxiliar de Flávio Bolsonaro sacava após depósito de valor similar

O servidor da família Bolsonaro foi citado num relatório do Coaf

[Ex-auxiliar de Flávio Bolsonaro sacava após depósito de valor similar]
Foto : Reprodução / Instagram

Por Alexandre Galvão no dia 11 de Dezembro de 2018 ⋅ 08:20

Os maiores saques feitos em 2016 pelo policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), foram precedidos, geralmente na véspera, de depósito de valores de mesmo patamar.

De acordo com a Folha, essa movimentação é característica de uma conta de passagem, na qual o real destinatário do valor creditado não é o seu titular. O uso de dinheiro em espécie nas duas pontas da operação reforça esse indício.

Queiroz foi citado num relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) como tendo apresentado uma movimentação financeira atípica de R$ 1,2 milhão em 2016. O alerta se deve tanto ao volume como à forma com que as transações foram feitas. O documento, contudo, não é o suficiente para apontar algum ato ilegal.

O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou uma investigação criminal sigilosa com base no relatório, que cita membros do gabinete de 22 deputados estaduais, entre eles Flávio Bolsonaro.

Do total movimentado, R$ 324,8 mil se referem a saques e R$ 216,5 mil a depósitos em espécie. Os demais valores são transferências identificadas, entre outras operações.

Notícias relacionadas