Política

Governo Bolsonaro se 'desassociará' do pacto da ONU para a migração, diz futuro chanceler

Acordo foi assinado ontem por cerca de 160 países, com o objetivo de reforçar a cooperação internacional para uma migração "segura, ordenada e regular"

[Governo Bolsonaro se 'desassociará' do pacto da ONU para a migração, diz futuro chanceler]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Dezembro de 2018 ⋅ 10:00

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, informou ontem (10) que o governo de Jair Bolsonaro se "desassociará" do pacto mundial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a migração. O acordo foi assinado ontem, no Marrocos, por cerca de 160 países, com o objetivo de reforçar a cooperação internacional para uma migração "segura, ordenada e regular".

Em mensagem publicada no Twitter, Araújo afirma que a imigração "não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país". Segundo o futuro chanceler, a imigração será "bem-vinda" no próximo governo, mas não deve ser "indiscriminada".

Outros países já decidiram deixar o pacto, entre os quais Estados Unidos – por considerá-lo contrário à política migratória de Donald Trump –, Hungria e Áustria.

Notícias relacionadas