Política

Futuro ministro do Meio Ambiente indica que Brasil deve permanecer no Acordo de Paris

De acordo com Ricardo Salles, no entanto, o mundo também precisa respeitar a autonomia do país para estabelecer suas políticas ambientais

[Futuro ministro do Meio Ambiente indica que Brasil deve permanecer no Acordo de Paris]
Foto : Reprodução / Facebook

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Dezembro de 2018 ⋅ 13:00

O futuro ministro do Meio Ambiente no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, Ricardo Salles, declarou ontem (10), em entrevista à agência Reuters, que o Brasil deve permanecer no Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas. No entanto, segundo o indicado para a pasta, o mundo também precisa respeitar a autonomia do país para estabelecer suas políticas ambientais.

"A minha tendência é dizer que nós não devemos deixar o acordo. Mas, por outro lado, isso também não significa que nós devemos aceitar toda e qualquer sanção, restrição e programa de maneira indiscutível. Todos os países têm que respeitar a autonomia brasileira para gerir seu território e decidir suas políticas do meio ambiente internamente", disse Salles.

Durante a campanha eleitoral, o presidente eleito chegou a dizer que poderia retirar o Brasil do acordo, que estabelece metas para redução da emissão de gases causadores do efeito estufa. No entanto, desde que foi eleito, Bolsonaro tem feito declarações contraditórias sobre o assunto.

Ainda segundo Ricardo Salles, o orçamento do ministério e das agências ambientais ligadas à pasta, como o Ibama e o ICMBio, não será reduzido. No entanto, o futuro ministro acredita que as agências não estão produzindo os resultados que deveriam.

Notícias relacionadas