Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Bolsonaro determina 'comemorações devidas' do golpe de 64, diz porta-voz

Período na história do País não teve eleição direta para presidente, registrou censura à imprensa e mais de seis mil denúncias de tortura

[Bolsonaro determina 'comemorações devidas' do golpe de 64, diz porta-voz]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Juliana Almirante no dia 26 de Março de 2019 ⋅ 10:00

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que o presidente Jair Bolsonaro determinou ao Ministério da Defesa que faça as "comemorações devidas" pelo marco de 55 anos do golpe que deu início a uma ditadura militar no país.

Rêgo Barros mudou o discurso depois de ter dito, na semana passada, que não haveria nenhum tipo de comemoração relacionada à data. 

O golpe militar que destituiu o ex-presidente João Goulart ocorreu em 31 de março de 1964 e durou 21 anos. No período, não houve eleição direta para presidente.

Houve censura à imprensa, o Congresso Nacional chegou a ser fechado e mandatos foram cassados. Segundo o relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), houve 6.016 denúncias de tortura, feitas por 1.843 pessoas, entre os anos de 1964 e 1977.

Notícias relacionadas

[Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado]
Política

Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado

Por Augusto Romeo no dia 13 de Abril de 2021 ⋅ 08:40 em Política

Aliados do governo preparam ofensiva, e ala do STF tenta maioria para que comissão só precise ser instalada após fim da pandemia