Política

Odebrecht tinha ‘bunker' em sala comercial na Faria Lima

Cerca de R$ 15,5 milhões circularam pelo local, com notas obtidas por doleiros, a fim de pagar propina e caixa 2 a políticos

[Odebrecht tinha ‘bunker' em sala comercial na Faria Lima]
Foto : Agência Brasil

Por Juliana Almirante no dia 22 de Abril de 2019 ⋅ 13:00

Uma sala comercial localizada na Avenida Faria Lima, principal corredor financeiro de São Paulo, foi usada como “bunker” para armazenar notas de dinheiro obtidas por doleiros para a Odebrecht pagar propina e caixa 2 a políticos e agentes públicos.

Os valores foram obtidos com lojistas da região da 25 de Março. De acordo com o Estadão, a planilha da transportadora de valores Transnacional, usada no esquema, aponta que R$ 15,5 milhões foram coletados na sala comercial e levados até a sede da empresa, na Vila Jaguara. Para transportar as quantias, foram feitas 37 viagens entre setembro de 2014 e maio de 2015. 

Nos dias seguintes às retiradas de dinheiro, os valores eram entregues por policiais militares à paisana a intermediários de políticos em residências, escritórios e quartos de hotéis.

As retiradas de dinheiro no “bunker” da Faria Lima, cujos valores variavam de R$ 120 mil a R$ 1,2 milhão, eram feitas com uma pessoa chamada Walter. 

Segundo investigação do Ministério Público Federal do Rio (MP-RJ), a sala comercial havia sido alugada pelos doleiros Cláudio Fernando Barboza, conhecido como “Tony”, e Vinícius Claret, o “Juca Bala”, presos em 2017 pela Lava Jato, por atuação no esquema de lavagem de dinheiro do ex-governador Sérgio Cabral (MDB).

O documento obtido pela reportagem está sob sigilo por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Notícias relacionadas

[PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido]
Política

PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido

Por Metro1 no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 18:44 em Política

Sigla destaca que é a única com 98% de votações favoráveis ao governo federal e que não compactua com eventuais desgastes