Política

Secretário da Receita anuncia novo imposto e é desautorizado por Bolsonaro

Contribuição Previdenciária incidiria sobre todas as transações financeiras; presidente afirmou que "nenhum novo imposto será criado" no governo

[Secretário da Receita anuncia novo imposto e é desautorizado por Bolsonaro]
Foto : Fernando Frazão/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 29 de Abril de 2019 ⋅ 10:20

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou, em entrevista à Folha, que pretende criar a Contribuição Previdenciária (CP), um tributo que incidiria sobre todas as transações financeiras, bancárias ou não, com alíquota de 0,9% e rateado entre as duas pontas da operação (quem paga e quem recebe). O novo imposto seria aplicado até mesmo ao dízimo pago pelos fiéis de igrejas. No entanto, na manhã de hoje (29), Cintra foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro.

"Fui surpreendido nessa manhã com a declaração do nosso secretário da Receita, de que seria criado um novo imposto para as igrejas. Quero me dirigir a todos vocês dizendo que essa informação não procede. Em nosso governo, nenhum novo imposto será criado, em especial contra as igrejas", disse o chefe do Executivo nacional, em vídeo publicado nas redes sociais.

O secretário havia dito que a medida substituiria a contribuição previdenciária sobre os salários, que retira R$ 350 bilhões por ano de empresas e trabalhadores, e reconhecia que a medida seria polêmica. "A base da CP é universal, todo o mundo vai pagar esse imposto, igreja, a economia informal, até o contrabando", afirma.

Notícias relacionadas

[PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido]
Política

PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido

Por Metro1 no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 18:44 em Política

Sigla destaca que é a única com 98% de votações favoráveis ao governo federal e que não compactua com eventuais desgastes

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL