Política

Após Bolsonaro atacar governador do Maranhão, Rui publica carta pedindo esclarecimentos

'Recebemos com espanto e profunda indignação', diz carta assinada pelos governadores do Nordeste

[Após Bolsonaro atacar governador do Maranhão, Rui publica carta pedindo esclarecimentos]
Foto : Gilberto Júnior/BNews

Por Adelia Felix no dia 19 de Julho de 2019 ⋅ 20:15

O governador da Bahia Rui Costa (PT) publicou uma carta assinada pelos governadores do Nordeste, em suas redes sociais, nesta sexta-feira (19), repudiando o comentário do presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República”, diz o texto.

Mais cedo, em um vídeo também compartilhado nas redes sociais, Bolsonaro aparece atacando o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e se referindo aos estados do Nordeste pelo termo 'Paraíba', durante conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni, na mesa do café da manhã com jornalistas. 

“Paraíba” é um termo considerado pejorativo e usado para se referir a nordestinos fora da região, principalmente no Rio de Janeiro.

Leia a íntegra da carta:

"Carta dos Governadores do Nordeste 19 de Julho de 2019 Nós governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população. Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia".

 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo