Política

Em oito meses de governo, Bolsonaro recebeu 9 baianos em agenda oficial

Senador, presidente do PSD na Bahia e líder do partido no Senado, Otto Alencar já esteve duas vezes com o presidente

[Em oito meses de governo, Bolsonaro recebeu 9 baianos em agenda oficial]
Foto :Marcos Corrêa/PR

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Agosto de 2019 ⋅ 15:18

Em oito meses de governo, o presidente Jair Bolsonaro recebeu apenas nove baianos em suas agendas oficiais. O levantamento foi feito com base nos dados públicos divulgados pelo governo. A pesquisa não contabiliza encontros que aconteceram fora da agenda ou em eventos, como a inauguração do Aeroporto de Vitória da Conquista, ou o lançamento do projeto de energia solar em Sobradinho.

Senador, presidente do PSD na Bahia e líder do partido no Senado, Otto Alencar já esteve duas vezes com o presidente. A primeira visita aconteceu em 27 de março, acompanhado dos senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Arolde de Oliveira (PSD-RJ). 

A proximidade entre Otto e Flávio não é novidade. Em entrevista ao Estadão, Flávio elogiou o baiano. "Falo com a oposição também. O senador Otto Alencar (PSD-BA), por exemplo, não é da base, mas é muito importante. Jaques Wagner (PT-BA) é uma pessoa super experiente, equilibrada. Ele me surpreendeu muito, apesar de ser do PT", disse o senador.

No dia 4 de abril, Otto viu novamente o presidente. Desta vez, acompanhando de membros da sua legenda, como Gilberto Kassab.

Próximo do presidente, apesar de negar que componha sua base de apoio, o presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto, esteve duas vezes com Bolsonaro. O primeiro encontro aconteceu em 4 de abril, ao lado do governador de Goiás, Ronaldo Caiado e do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. No dia 23 de maio o encontro voltou a acontecer, dessa vez com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. 

Baiano, mas hoje trabalhando para o governo de São Paulo, Antonio Imbassahy (PSDB também esteve duas vezes com o chefe do Palácio do Planalto. Os encontros aconteceram no dia 10 de janeiro e 13 de abril para cuidar de interesses do estado capitaneado por João Doria (PSDB). 

Foram recebidos ainda por Bolsonaro os deputados Marcio Marinho (PRB), Abílio Santana (PL) e Dayane Pimentel (PSL) – todos apenas uma vez. Presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, o desembargador Gesivaldo Britto encontrou com Bolsonaro em 4 de abril. 

Além de políticos, o presidente recebeu o arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, a superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), Maria Rita Pontes, e o gestor operacional da OSID, Sérgio Lopes. O objetivo do encontro foi convidar o presidente para a canonização de Irmã Dulce, que acontecerá no dia 13 de outubro, no Vaticano.

Notícias relacionadas