Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00

A operação que mira o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar, demorou quase dois meses para obter autorização de Justiça, segundo a Folha. De acordo com a publicação, o Tribunal Regional Eleitoral deu seis dos sete votos a favor da investigação. 

O inquérito foi aberto em março, após reportagens da Folha terem revelado o esquema de laranjas do partido do presidente Jair Bolsonaro. Os pedidos de buscas foram enviados pela PF e pela promotoria no dia 21 de agosto, com endereços da sede do PSL em Pernambuco e do deputado Luciano Bivar, presidente da sigla, entre os alvos. A juíza Maria Margarida de Souza Fonseca, da 6ª zona eleitoral do Recife, indeferiu as buscas em seguida, no dia 9 de setembro, dizendo não haver elementos suficientes para a operação.  

O relator do processo, mantido sob sigilo, poderia ter despachado individualmente, mas preferiu levar o pedido para análise do plenário. Nesta segunda-feira (14), os juízes do tribunal, enfim, autorizaram as buscas. 

A PF montou a operação de um dia para o outro.

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três candidatas, Maria de Lourdes Paixão, Érika Santos e Mariana Nunes, e de duas gráficas, Itapissu e Vidal, bem como seus representantes, também tiveram busca e apreensão.

Notícias relacionadas