Política

Se houve grampo 'é uma desonestidade', diz Bolsonaro sobre áudio

Em gravação, presidente teria feito articulação para mudar a liderança do PSL na Câmara

[Se houve grampo 'é uma desonestidade', diz Bolsonaro sobre áudio]
Foto : Marcos Corrêa/PR

Por Juliana Almirante no dia 17 de Outubro de 2019 ⋅ 11:40

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (17) à imprensa que não comenta "publicamente" a disputa pela liderança do PSL na Câmara Federal 

Ele ainda considera que, se seu telefone foi grampeado, tratou-se de uma "uma desonestidade".

"Eu não trato publicamente desse assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou telefone, primeiro é uma desonestidade", declarou, de acordo com o G1.

Em áudio revelado pela revista Época e pela revista Crusoé, o presidente fala com um interlocutor desconhecido sobre lista de assinaturas para retirar o deputado Delegado Waldir (GO) da liderança do PSL na Casa.

O parlamentar é ligado ao presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), e tem feito críticas públicas ao presidente.

Notícias relacionadas