METROPOLE

Domingo, 16 de maio de 2021

Política

Bolsonaro não é 'monarca presidencial', diz Celso de Mello após vídeo

Decano do STF emitiu nota sobre publicação que comparava STF e PSL a "hienas" que atacam o "leão" Bolsonaro: "O atrevimento presidencial parece não encontrar limites"

Bolsonaro não é 'monarca presidencial', diz Celso de Mello após vídeo

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

Por: Juliana Rodrigues no dia 29 de outubro de 2019 às 08:20

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, emitiu nota, ontem (28), na qual afirma que "o atrevimento presidencial parece não encontrar limites", ao comentar um vídeo publicado nas redes sociais de Jair Bolsonaro que mostra o presidente como um leão encurralado por hienas. Entre as hienas, está o próprio STF. No texto, Mello lembra que o presidente não é um "monarca presidencial" e frisa que o Judiciário brasileiro é independente.

"É imperioso que o senhor Presidente da República - que não é um ‘monarca presidencial’, como se o nosso País absurdamente fosse uma selva na qual o Leão imperasse com poderes absolutos e ilimitados - saiba que, em uma sociedade civilizada e de perfil democrático, jamais haverá cidadãos livres sem um Poder Judiciário independente, como o é a magistratura do Brasil", diz o decano.

"O atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções, pois o vídeo que equipara, ofensivamente, o Supremo Tribunal Federal a uma ‘hiena’ culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores", afirma.

O vídeo foi publicado nas redes sociais do presidente e apagado pouco depois. Nos bastidores, a autoria da postagem foi atribuída ao vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente que gerencia as publicações do perfil do chefe do Executivo nas redes sociais.

TV METRO

Entrevistas

Alice Portugal

Em 14 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Bolsonaro não é 'monarca presidencial', diz Celso de Mello após vídeo - Metro 1