Política

Após matéria do caso Marielle, Bolsonaro ataca Globo e Witzel

Presidente afirma que o governador do Rio teria interesse de destruir sua reputação e ameaçou não renovar concessão da emissora

[Após matéria do caso Marielle, Bolsonaro ataca Globo e Witzel ]
Foto : Reprodução/Facebook

Por Juliana Almirante no dia 30 de Outubro de 2019 ⋅ 06:59

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nas redes sociais em resposta à matéria da TV Globo ontem (29), que associou o mandatário ao caso Marielle Franco.

Ele ainda deu uma declaração distorcida sobre uma publicação da Revista Veja, que aponta que o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel sabia da matéria antes de ir ao ar. 

"Segundo a Veja, quem vazou para a Globo foi o governador Witzel. Witzel que explique agora como vazou esse processo", declarou.

Ele afirma que o governador do Rio teria interesse de destruir sua reputação porque quer disputar a presidência da República. 

"Para chegar lá, ao que tudo indica, é destruir a família Bolsonaro, a minha conduta de combate a corrupção, de honestidade", acusou o presidente.

Apesar de dizer que não gostaria de "bater o martelo" e se precipitar na acusação, o presidente avalia algumas hipóteses do que "parece" ser o depoimento do porteiro

"O que parece? Ou que o porteiro mentiu ou induziram o porteiro a cometer falso testemunho. Ou escreveram algo no inquérito e o porteiro não leu e assinou em confiança ao delegado ou quem foi ouvi-lo na portaria. Qual a intenção disso tudo? A intenção é sempre a mesma, o tempo todo ficam em cima da minha vida, de meus filhos e de quem está próximo de mim. O processo corre em segredo de Justiça e vaza para quem? Para a Globo, é sempre a Globo a dar furo", acusa. 

O presidente ainda diz que a reportagem tem o interesse de construir uma narrativa que pode levar no seu afastamento.

"Constrói a narrativa e me colocam como suspeito de ter participado ou de ser um dos mentores da morte de Marielle Franco. (...) Será que a Globo quer criar narrativa de que eu deveria me afastar e que o povo deveria ir a rua para pedir meu afastamento?", afirmou.

Bolsonaro relembrou ainda, por mais de uma vez, que a concessão da emissora vence em 2022, e que não irá "perseguir ninguém", no entanto, deixou em dúvida a renovação.

"Vocês vão renovar a concessão em 2022", disse "Se o processo não tiver limpo não vai ter renovação", completou.

Notícias relacionadas