Quarta-feira, 08 de dezembro de 2021

Política

Após investigação, DEM defende existência de critérios contra candidaturas laranjas

Maior parte da receita declarada pela candidata apontada como laranja teria sido repassada por meio de uma transferência eletrônica assinada assinada pelo tesoureiro do partido e por ACM Neto

Após investigação, DEM defende existência de critérios contra candidaturas laranjas

Foto: Orlando Brito/Democratas

Por: Matheus Simoni no dia 25 de novembro de 2019 às 07:41

O Democratas reforçou a existência de critérios viabilizados pelo presidente nacional do partido e prefeito de Salvador, ACM Neto, contra candidaturas laranjas nas eleições. O posicionamento ocorre diante da investigação da Polícia Federal sobre a ocorrência do que pode ter sido o maior esquema deste tipo no pleito realizado no ano passado. Uma mulher do Acre que oficialmente concorreu a deputada estadual recebeu R$ 240 mil do Diretório Nacional da sigla.

De acordo com a PF, a policial militar Sonia de Fátima Silva Alves teria sido usada como candidata laranja para desvio dessas verbas em benefício da campanha do deputado federal Alan Rick (AC), presidente do Diretório Estadual do DEM e membro de Executiva Nacional do partido.

Documentos obtidos pelo jornal apontam que a maior parte da receita declarada pela candidata foi repassada por meio de uma transferência eletrônica assinada em 13 de setembro de 2018 por Romero Azevedo, tesoureiro nacional, e "A Magalhães NT" —Antonio Carlos Magalhães Neto, prefeito soteropolitano.

Por meio da assessoria, o Democratas afirmou ter aprovado resolução, em 2018, determinando a transferência direta das verbas para a conta bancária das candidatas mulheres. A legenda ainda defender ter definido "que as lideranças partidárias de cada estado teriam a responsabilidade de identificar a viabilidade eleitoral das concorrentes". "Os critérios, fixados após iniciativa do presidente nacional do partido, ACM Neto, foram estabelecidos para impedir quaisquer desvios desses valores por parte dos candidatos homens", diz a nota do partido.

No entanto, segundo a Folha, a resolução, não traz menção clara no sentido de responsabilizar os diretórios estaduais pela escolha e análise da viabilidade eleitoral das candidatas. Em resposta à pergunta sobre se o partido tomou atitude em relação ao caso de Sonia, a nota afirma apenas que "o Democratas Nacional continua acompanhando os desdobramentos das investigações realizadas no estado do Acre". 

Após investigação, DEM defende existência de critérios contra candidaturas laranjas - Metro 1