Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

'Estou estarrecida', diz subprocuradora-geral da República sobre presidente da Fundação Palmares

Deborah Duprat analisa formular representação para impugnar Sérgio de Camargo; OAB também divulgou nota de repúdio

['Estou estarrecida', diz subprocuradora-geral da República sobre presidente da Fundação Palmares]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Catarina Lopes no dia 29 de Novembro de 2019 ⋅ 17:28

A subprocuradora-geral da República e procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, declarou hoje (29) ao jornal O Globo que está "estarrecida" com as falas do novo presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Nascimento de Camargo.

Sérgio é um militante de direita que acredita que não existe "racismo real" no país, que a escravidão foi "benéfica para os descendentes" e que o movimento negro tem que ser extinto, além de ter atacado uma lista extensa de personalidades negras.

"A Fundação Palmares é uma conquista para o movimento negro, tem uma simbologia extremamente importante para essa luta e é um absurdo ter na presidência dessa fundação uma pessoa que fala o que fala. Estou estarrecida", disse Duprat, que pensa em formular representação na segunda-feira para "impugnação dessa pessoa ao cargo".

A OAB também divulgou nota de repúdio às declarações de Camargo por meio de sua Comissão Nacional de Promoção de Igualdade. A presidente da comissão, Silvia Cerqueira, declarou que ele "praticou o crime de racismo quando, de forma desrespeitosa, disse que a escravidão foi boa porque os negros viveriam em condições melhores no Brasil do que no continente africano e asseverou que 'merece estátua, medalha e retrato em cédula o primeiro branco que meter um preto militante na cadeia por crime de racismo'".

Notícias relacionadas