Sábado, 04 de dezembro de 2021

Política

Bolsonaro não cometeu crime ao acessar áudios de portaria, diz Aras

O PGR afirmou que não é cabível abertura de inquérito no STF

Bolsonaro não cometeu crime ao acessar áudios de portaria, diz Aras

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Por: Lara Curcino no dia 01 de dezembro de 2019 às 10:00

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que não é cabível a abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar se o presidente Jair Bolsonaro e seu filho vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) cometeram crime de obstrução da Justiça no caso Marielle Franco. 

Bolsonaro acessou áudios do dia do assassinato da vereadora carioca e do seu motorista, Anderson Martins, da portaria do condomínio onde o então deputado federal residia. Na data do crime, o suspeito de ter matado Marielle, Élcio Queiroz, foi ao condomínio e, de acordo depoimento do porteiro Alberto Mateus, teria ido à casa de Bolsonaro.

O funcionário contou à polícia que foi atendido por "seu Jair", que autorizou a entrada de Queiroz. O porteiro disse ter ligado mais uma vez para a casa do agora chefe do Executivo ao observar que o visitante teria se dirigido a outra casa, de Ronnie Lessa, suspeito de dirigir carro de onde saíram os disparos. Alberto afirma que "seu Jair" comunicou que estava ciente do desvio.

No dia 20 de novembro, no entanto, o porteiro voltou atrás no depoimento e disse ter se enganado em envolver o nome de Bolsonaro na situação.

Bolsonaro não cometeu crime ao acessar áudios de portaria, diz Aras - Metro 1