Política

Maia defende punição após ataque a jornalista durante CPI

"Atacar a imprensa com acusações falsas de caráter sexual é baixaria com características de difamação", escreveu o presidente da Câmara

[Maia defende punição após ataque a jornalista durante CPI]
Foto : Tânia Rêgo/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 13 de Fevereiro de 2020 ⋅ 11:00

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reagiu ontem (12) aos ataques feitos por Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, à jornalista Patricia Campos Mello, da Folha de S. Paulo, durante a CPMI das Fake News.

"Dar falso testemunho numa comissão do Congresso é crime. Atacar a imprensa com acusações falsas de caráter sexual é baixaria com características de difamação. Falso testemunho, difamação e sexismo têm de ser punidos no rigor da lei", disse, por meio do Twitter.

Leia mais:

Ex-funcionário de empresa acusa repórter da Folha de querer matéria em troca de sexo; jornal desmente

CPMI avalia indiciar ex-funcionário de empresa de disparos em massa após mentiras

Notícias relacionadas

[Moro pede Lei de Segurança Nacional contra Lula ]
Política

Moro pede Lei de Segurança Nacional contra Lula

Por Luciana Freire no dia 19 de Fevereiro de 2020 ⋅ 19:20 em Política

PF ouviu o ex-presidente na manhã desta quarta-feira; a base da acusação é uma fala do petista que sugere que Bolsonaro seja um 'miliciano'