Política

Líder do governo defende que Bolsonaro ‘paga por ser fiel ao seu estilo’

Ele declara que, de forma prática, não teriam medidas do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que tenham sido negadas pelo presidente

[Líder do governo defende que Bolsonaro ‘paga por ser fiel ao seu estilo’]
Foto : Waldemir Barreto/ Agência Senado

Por Juliana Almirante no dia 02 de Abril de 2020 ⋅ 09:10

O senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo no Congresso Nacional, disse que o presidente Jair Bolsonaro, pagaria a conta de ser “fiel ao seu estilo”, ao defender a forma que o presidente lida com a crise do coronavírus.

“O presidente Jair Bolsonaro paga muito por ser um político fiel ao seu estilo. Ele foi deputado daquele jeito e candidato daquele jeito. Ganhou a eleição daquele jeito e é a mesma pessoa. É um momento para a gente ter também compreensão e não errar na hora da atitude”, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole.

Ele declara que, de forma prática, não teriam medidas de infraestrutura e mobilização do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que tenham sido negadas pelo presidente. 

“Mas uma coisa que a história vai contar. Foi que no ano de 2019, quando ninguém imaginava que ia ter Covid-19, o governo fez a maior transferência da história para municípios e estados brasileiros. Ou seja, as UPAs que são inauguradas agora  os equipamentos do municípios, de fortalecimento do SUS nos municípios, foi atitude do governo que mudou um monte de coisa, escolheu menos ministro do jeito que quis, sem ouvir os partidos. Se não, não tínhamos menor condição de enfrentar a crise”, alegou.

Gomes ainda citou que o governo federal teria liberado R$ 750 bilhões para medidas diante da crise, o que equivale a 2,6% do PIB. 

“A gente sabe que é difícil. Agora cabe ao presidente fazer a divulgação do rombo. O que ele fez foi falar de forma corajosa na televisão, e muitos governos já estão praticando, abrindo parte do comércio em cidades sem casos registrados, tentando manter o agronegócio e os serviços essenciais. Errar, quem sou eu para dizer que ele não erra, se ele mesmo admite, na televisão, que erra e recua de determinadas posições”, defendeu.

O líder do governo ainda destacou a maneira com que o governador Rui Costa e o prefeito ACM Neto estão agindo durante a pandemia, com menos disputa política e mais ações.

“Quero ressaltar a forma republicana que o governador Rui Costa vem agindo. Em vários episódios, deu prova disso, desde a gestão compartilhada dos royalties do petróleo. Então a gente tem na Bahia uma das melhores bancadas do Senado. Estou confiante de que a gente vai achando rumo, com menos briga e mais ação. (....) A Bahia já ensinou ao Brasil como deve brigar em política. Tanto ACM Neto, que é um grande amigo, a quem mando abraço, quanto os governos da Bahia são famosos por uma briga impositiva”, disse.

Notícias relacionadas

[Weintraub associa ação da Polícia Federal ao nazismo]
Política

Weintraub associa ação da Polícia Federal ao nazismo

Por Kamille Martinho no dia 29 de Maio de 2020 ⋅ 21:30 em Política

O ministro vem sendo continuamente repudiado por entidades e representantes da comunidade judaica por declarações que, segundo os judeus, banalizam o Holocausto