Política

Bolsonaro trocou responsável por segurança antes de reunião com Moro

O decreto de Bolsonaro foi publicado no DOU do dia 26 de março de 2020

[Bolsonaro trocou responsável por segurança antes de reunião com Moro]
Foto : Carolina Antunes/PR

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Maio de 2020 ⋅ 10:40

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, sobre a divulgação de trechos transcritos da reunião ministerial de 22 de abril, que se referia à sua segurança pessoal e à de sua família quando disse que não conseguia trocar o comando da "segurança" no Rio de Janeiro. Porém, fez trocas nessa área antes da ocasião que é apontada pelo ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) como prova de interferência presidencial na Polícia Federal. 

Segundo o Uol, o Diário Oficial da União confirma que Bolsonaro na verdade promoveu o responsável pela segurança pessoal, em vez de demitir por descontentamento com o rendimento. Foi o general André Laranja Sá Corrêa, que virou comandante da 8ª Brigada de Infantaria do Exército, em Pelotas (RS).

O decreto de Bolsonaro foi publicado no DOU do dia 26 de março de 2020, ou seja, pouco menos de um mês antes da reunião na qual ele alega ter reclamado justamente da dificuldade de fazer mudanças na sua segurança, e não na Polícia Federal, como alega Moro. A promoção do general passou a valer a partir do dia 31 de março.

Além disso, o presidente escolheu Gustavo Suarez, então diretor-adjunto da Segurança Presidencial, para assumir o comando após a promoção de Sá Corrêa, o que também não indica insatisfação com o rendimento da área. À TV Globo, o Planalto não respondeu sobre quais seriam, então, as dificuldades que Bolsonaro alegava ter para fazer trocas na segurança. 

Notícias relacionadas