Política

Drauzio Varella elogia Rui e Neto por combate à pandemia: 'Bahia tem situação privilegiada'

Na avaliação de dr. Drauzio Varella, países que adotaram medidas restritivas mais cedo se destacaram no combate à doença

[Drauzio Varella elogia Rui e Neto por combate à pandemia: 'Bahia tem situação privilegiada']
Foto : Gil Ferreira/CNJ

Por Matheus Simoni no dia 25 de Maio de 2020 ⋅ 09:21

O médico oncologista Drauzio Varella comentou a posição da Bahia frente a outros estados no controle da pandemia de coronavírus no país. Em entrevista a Mário Kertész, durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole hoje (25), o especialista elogiou a atuação do governador da Bahia, Rui Costa (PT), e do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). As autoridades, embora adversários no campo político, têm mantido um esforço conjunto para conter a Covid-19.

"Acho que a Bahia tem uma situação privilegiada mesmo, um governador e um prefeito que são homens civilizados, o que hoje em dia não é pouco, e que entendem que a situação é grave e que não admite-se nenhuma politização porque é o povo baiano sofrendo. Se comparar com os outros estados do Nordeste e de outras áreas, como o Norte, a situação da Bahia é razoável. Não estou dizendo que não é grave, é grave no mundo inteiro e no país inteiro. Mas é uma situação que está sendo relativamente bem controlada. Eu acho que se deve a essa harmonia, homens públicos que têm uma noção da gravidade do problema e colocam o enfrentamento como prioridade", declarou o especialista.

Na avaliação de dr. Drauzio Varella, países que adotaram medidas restritivas mais cedo se destacaram no combate ao coronavírus. Um dos exemplos foi a Argentina, país vizinho do Brasil, que restringiu a circulação da população e cobrou uma colaboração entre estados e municípios.

"Não foi uma coisa que veio do céu. Não foi sorte da Argentina. O vírus se transmite para um argentino da mesma forma que o brasileiro ou um chinês. Foram países que souberam fazer um esforço coletivo para isolar o vírus da melhor forma possível. Temos um país muito grande, muito desordenado e esse conflito de posições que confundem a população", afirmou. 

Notícias relacionadas