Política

Zambelli fala em operação da PF e é acusada de ter informação privilegiada

Em entrevista à Rádio Gaúcha, deputada afirmou que "já tem alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal"

[Zambelli fala em operação da PF e é acusada de ter informação privilegiada]
Foto : Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Por Juliana Rodrigues no dia 26 de Maio de 2020 ⋅ 09:00

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), uma das principais aliadas de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, revelou ontem (25) que a Polícia Federal irá deflagrar operações para investigar irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia. A declaração foi dada durante entrevista à Rádio Gaúcha, do Rio Grande do Sul.

“A gente já teve algumas operações da Polícia Federal que estavam ali, na agulha, para sair, mas não saíam. E a gente deve ter, nos próximos meses, o que a gente vai chamar, talvez, de ‘Covidão’ ou de... não sei qual vai ser o nome que eles vão dar... mas já tem alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal”, disse Zambelli.

Um dia depois da fala de Zambelli, na manhã de hoje (26), a PF deflagrou a Operação Placebo, que atinge o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), um dos principais desafetos do presidente Jair Bolsonaro. Policiais cumprem mandados de busca na residência oficial do governador e no escritório da primeira-dama do Estado, Helena Witzel.

O vice-líder do PCdoB na Câmara, Márcio Jerry (MA), avaliou que a fala da deputada é mais uma prova da tentativa de interferência do governo na PF. “Notem a gravidade: deputada Carla Zambelli anuncia operações da Polícia Federal contra governadores. Dá até o nome da operação! Um absurdo o governo de Jair Bolsonaro insistir na tentativa de transformar uma instituição do estado brasileiro em polícia política para perseguir adversários”, afirmou Jerry.

Procurada pelo site Congresso em Foco, Zambelli afirmou que obteve informações da própria imprensa e que esse nome é o apelido dado "pelas pessoas, é como o Petrolão, Mensalão e esse é o Covidão". Segundo a deputada, a fala sobre uma futura operação foi no sentido de acreditar que isso deva acontecer, já que ela tem uma "crença" de que vários governadores e prefeitos são corruptos.

Notícias relacionadas