Política

Exército avalia parceria com empresa de armas apoiada por filho de Bolsonaro

Parlamentar é entusiasta de armas e é visto no mercado como uma espécie de garoto-propaganda da empresa

[Exército avalia parceria com empresa de armas apoiada por filho de Bolsonaro]
Foto : Reprodução/YouTube

Por Metro1 no dia 09 de Junho de 2020 ⋅ 08:40

O Exército Brasileiro está prestes a fechar uma parceria para a fabricação de pistolas da marca americana SIG Sauer no Brasil. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a negociação ocorreu após intenso lobby do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido). O parlamentar é entusiasta de armas e é visto no mercado como uma espécie de garoto-propaganda da empresa. Incomodados pela revogação de portarias de controle de armas e munições por ordem do presidente, setores do Exército apresentaram desconforto com a insistência de Eduardo para promover a empresa. Em seu canal no YouTube e em sua conta no Facebook, Eduardo aparece testando pistolas da marca em um clube de tiro em março deste ano.

“Falta a garantia política de que o lobby não atochará tantas burocracias para emperrar a instalação” de uma fábrica no país, escreveu o deputado em 16 de abril do ano passado, no Twitter, junto com uma foto de uma reunião com representantes da empresa. Ainda de acordo com a Folha, o Centro de Comunicação Social do Exército afirmou que a negociação tenta uma parceria entre a sucursal americana da marca, de origem suíço-alemã, e a brasileira Imbel.

A Indústria de Materiais Bélicos do Brasil é uma empresa pública ligada ao Comando do Exército. Ela faz munições, fuzis e pistolas.

É dependente do governo. Custou R$ 152,2 milhões ao Tesouro para seguir operando em 2019.

O Exército informa que as duas empresas só precisam agora do aval dos respectivos governos para firmar um acordo de produção conjunta no Brasil. Ainda não há detalhes sobre metas e investimento.

Notícias relacionadas