Política

Delegado admite que foi 'gado de Bolsonaro' e diz: 'Ajudei a criar esse monstro e vou ajudar a matar'

O deputado federal ainda disse que “o presidente é genocida”: “Está destruindo a população brasileira”

[Delegado admite que foi 'gado de Bolsonaro' e diz: 'Ajudei a criar esse monstro e vou ajudar a matar']
Foto : Câmara dos Deputados

Por João Brandão no dia 09 de Junho de 2020 ⋅ 19:56

O deputado federal Delegado Waldir (PSL), ex-líder do partido que elegeu Bolsonaro presidente e antigo aliado do capitão, reafirmou hoje (9) à Rádio Metrópole que o chefe da Nação é “vagabundo” e que vai ajudar a matar o monstro que ele ajudou a criar.

“Chamei de vagabundo. Não menti. Eu sabia e falei para o Brasil que ele era vagabundo. Traíra [...] Eu acordei. Errei, ajudei a criar esse monstro e vou ajudar a destruir. Ajudei a criar esse monstro e vou ajudar a matar esse monstro. Ja fiz ‘mea culpa’. Eu erro”, afirmou.

O parlamentar disse que Bolsonaro surfou na onda da Operação Lava Jato, como muitos, e que tem pensamento parecido.

“Temos pensamentos próximos ao presidente, não como acabar com a democracia, mas na linha de permitir que tenha arma registrada, sou de direita, conservador, não nego. Fui gado, comi capim, mas não como mais”, contou.

Waldir ainda disse que “o presidente é genocida”. “Está destruindo a população brasileira”, completou.

Notícias relacionadas