Política

Geraldo Jr. reforça independência da CMS e relação com Neto: ‘Tentaram arranhar, mas não conseguiram’

“Acho não que o prefeito, mas o entorno, as forças ocultas, que ficavam dizendo que o prefeito tem que acordar comigo"

[Geraldo Jr. reforça independência da CMS e relação com Neto: ‘Tentaram arranhar, mas não conseguiram’]
Foto : Reprodução / Youtube

Por Alexandre Galvão no dia 24 de Junho de 2020 ⋅ 09:03

Presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Junior (MDB) reforçou hoje (24) o caráter de independência que ele acredita ter imprimido na gestão da Casa. Mesmo em meio à pandemia, o Legislativo da capital continua se reunindo de forma semipresencial para aprovar matérias de vereadores e também enviadas pelo Executivo. 

“Seguindo a esteira do governador Rui e do prefeito ACM Neto, largamos a disputa política. A Câmara tem dado esse exemplo para a cidade. Ontem aprovamos 15 projetos de lei dos vereadores, votamos à unanimidade da renovação por mais um mês da dilação do Salvador por Todos. Temos brigado pelos transportadores escolares”, afirmou, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole

A postura independente nem sempre contribuiu para a harmonia com o prefeito da capital, ACM Neto. Para Geraldo Júnior, o “entorno”, as “forças ocultas” criavam animosidade entre os dois, o que foi superado. 

“Acho não que o prefeito, mas o entorno, as forças ocultas, que ficavam dizendo que o prefeito tem que acordar comigo. Mas eu quero uma casa independente, não há um só dia que eu não fale com o prefeito ACM Neto. É difícil cuidar de vidas, mas modular a economia. Temos pedido entendimento. […] Tentaram arranhar minha relação com Neto, mas não conseguiram. Esse entorno às vezes prejudica sua relação institucional, até com o governador. O prefeito olha a política da cidade e do estado como se fosse um drone. Tentaram criar um estremecimento. A política não estava acostumada com a independência, o respeito aos vereadores melhorou a situação do Legislativo e do Executivo. Abri as portas para a sociedade, mas também para a política.”, narrou. 

Notícias relacionadas