Política

Maia: ‘Impeachment aprofundaria crise que passamos’

Em entrevista à Rádio Metrópole, presidente da Câmara ainda afirmou que o gabinete do ódio tem um comando internacional

[Maia: ‘Impeachment aprofundaria crise que passamos’]
Foto : Metropress

Por Alexandre Galvão e Matheus Simoni no dia 14 de Julho de 2020 ⋅ 08:53

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) acredita que tratar de um possível processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro poderia aprofundar a crise que o país passa, por conta do coronavírus, e piorar o que aconteceria no futuro.

“Essa questão [de moderação], nosso papel é dessa construção do diálogo, junto com o Executivo, Judiciário. O impeachment é político. A minha avaliação é que tratar em meio à pandemia é aprofundar a crise. Uma crise política só iria aprofundar tudo que passamos e vamos passar”, avaliou, em entrevista hoje (14), a Mário Kertész, na Metrópole.

Alvo constante do “gabinete do ódio”, o presidente do Legislativo disse acreditar que parte dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro crê que, por ele ter vencido a eleição, pode fazer tudo. “Há nas pessoas que apoiam o presidente que o fato de ele ter ganho a eleição dá direito de fazer o que ele quiser. Tem na cabeça de um grupo minoritário que o presidente ganhou, pode fazer tudo. Ao longo do tempo, uma parte vai entendendo”.

Rodrigo Maia disse ainda que o gabinete do ódio tem um comando internacional – com Olavo de Carvalho – e um nacional, que ele não identificou. “Claro que ninguém gosta do nível de ataques. Agora reduziu um pouco. As agressões são pesadas, aquela parte do EUA, comandada pelo Olavo, e no Brasil por outros ambientes, é violento. Por isso tenho defendido a lei das Fake News. Existem movimentos de tentar impor posição desse pessoal radical”.

Notícias relacionadas

[DEM pune deputados que votaram contra aumento do fundo eleitoral]
Política

DEM pune deputados que votaram contra aumento do fundo eleitoral

Por Luciana Freire no dia 13 de Agosto de 2020 ⋅ 19:00 em Política

Os deputados Kim Kataguiri e Alan Rick estão entre os parlamentares que não terão direito a cota de indicação no fundo para seus candidatos no pleito municipal, como os d...