Política

Após atacar colega Luiz Eduardo Ramos, ministro Ricardo Salles admite 'excesso' e pede desculpas

Na última quinta-feira (22), Salles ainda afirmou que Ramos "deveria parar de adotar uma postura de 'maria fofoca"

[Após atacar colega Luiz Eduardo Ramos, ministro Ricardo Salles admite 'excesso' e pede desculpas]
Foto : Marcos Corrêa/PR

Por Kamille Martinho no dia 26 de Outubro de 2020 ⋅ 09:40

O ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, disse ontem (25) que pediu desculpas ao ministro Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação política do governo, por afirmar que o mesmo "deveria parar de adotar uma postura de 'maria fofoca'", o que classificou como "excesso".

"Conversei com o ministro Ramos, apresentei minhas desculpas pelo excesso e colocamos um ponto final nisso. Estamos juntos no governo, pelo Pres. Bolsonaro e pelo Brasil. Bom domingo a todos", escreveu Ricardo Salles em sua conta no Twitter.

Após receber o pedido de desculpas, Ramos escreveu, também nas redes sociais, que "intrigas não resolvem nada" e que "uma boa conversa apazigua diferenças". "Uma boa conversa apazigua as diferenças. Intrigas não resolvem nada, muito menos quando envolvem questões relacionadas ao País. Eu e o Ricardo Salles prosseguimos juntos em nome do nosso Presidente Jair Bolsonaro e em prol do Brasil", afirmou.

Na última quinta-feira (22), Salles ainda atribuiu ao colega a origem de uma notícia publicada pelo jornal "O Globo", segundo a qual ele, Salles, "estica a corda" com a ala militar do governo — da qual Ramos, general da reserva, faz parte — ao reclamar da falta de recursos para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Ministro Luiz Ramos, não estiquei a corda com ninguém. Tenho enorme respeito e apreço pela instituição militar. Atuo da forma que entendo correto. Chega dessa postura de #mariafofoca”, escreveu Salles em rede social.

Notícias relacionadas