Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Terça-feira, 21 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Rádio Metropole

/

Geógrafo explica alagamentos nas avenidas de Salvador e critica obras: “Visão de concretagem da nossa cidade"

Rádio Metropole

Geógrafo explica alagamentos nas avenidas de Salvador e critica obras: “Visão de concretagem da nossa cidade"

Joilson Cruz foi entrevistado nesta sexta-feira (12) na Rádio Metropole

Geógrafo explica alagamentos nas avenidas de Salvador e critica obras: “Visão de concretagem da nossa cidade"

Foto: Fernanda Vilas/Metropress

Por: Metro1 no dia 12 de abril de 2024 às 13:03

Atualizado: no dia 12 de abril de 2024 às 13:18

Nesta semana, Salvador foi atingida por fortes chuvas, que ocasionaram em diversas ocorrências frente à Defesa Civil (Codesal). Imóveis, ruas e avenidas da capital baiana ficaram alagadas, resultando em registros incomuns, como moradores trafegando pela cidade a bordo de prancha, canoa e motos aquáticas.

O cenário permitiu a observação do acúmulo de água em regiões da cidade que antes não eram atingidas por alagamentos. Em entrevista à Rádio Metropole nesta sexta-feira (12) o geógrafo e escritor, Joilson Cruz, explicou que as grandes ocorrências de alagamento são consequência de uma série de fatores que envolvem as encostas construídas na cidade e a canalização das águas fluviais para os leitos dos rios.

“É necessário ter uma visão melhor para as encostas da cidade de Salvador. Elas são também uma área de absorção da água da chuva e a partir do momento que são feitos esses paredões com concretagem a água, em maior volume, porque o solo não vai absorver, vai para as avenidas de vale e aí o que está acontecendo ultimamente é a canalização desses leitos de rios. Os rios, o seu solo natural, também absorve a água e a partir do momento que faz a canalização inadequada o que vamos ver é o fluxo de água não tem conseguido absorver da forma devida esse volume de água, consequentemente as avenidas de vale têm sido inundadas”, disse.

Como exemplos de localidade que estão sendo atingidas por alagamentos atualmente, o geógrafo citou a Avenida Centenário, a região do Caminho das Árvores, além do problema antigo da Cidade Baixa, nunca solucionado. Na análise de Joilson Cruz, falta planejamento urbano e dedicação às obras de fato importantes. Segundo ele, a gestão municipal prioriza intervenções que são vistas pela população em detrimento das que não são visualizadas, mas são fundamentais. 

“Historicamente Salvador sempre foi uma cidade que choveu bastante, até quando éramos uma pequena aldeia, os muros de contenção da cidade, em função das chuvas, foram derrubados, mas o que nós vemos é essa visão de planejamento. Se a gente perguntasse às pessoas do Uruguai, Caminho de Areia, se eles preferiam que fizesse a via do BRT ou se solucionasse a questão do alagamento, eles com certeza iriam preferir que se resolvesse essa questão que eles passam anos após anos”, completou. 

Confira a entrevista na íntegra: