Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Terça-feira, 21 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Rádio Metropole

/

Cigarro eletrônico é ainda mais prejudicial que o tradicional, alerta otorrinolaringologista

Rádio Metropole

Cigarro eletrônico é ainda mais prejudicial que o tradicional, alerta otorrinolaringologista

Campos ressalta que mesmo tendo parado de fumar, a lesão pulmonar acompanha a pessoa pelo resto da vida, sendo necessário o uso de medicação de uso contínuo

Cigarro eletrônico é ainda mais prejudicial que o tradicional, alerta otorrinolaringologista

Foto: Kruscha/Pixabay

Por: Metro1 no dia 16 de abril de 2024 às 11:32

Atualizado: no dia 16 de abril de 2024 às 11:50

Populares entre o público jovem, os cigarros eletrônicos têm causado preocupação porque levam a um quadro de pneumonite. Esse é o alerta feito pela otorrinolaringologista Érica Campos em entrevista a Rádio Metropole nesta segunda-feira (16). "Essa é uma inflamação do pulmão e pode deixar sequelas permanentes e irreversíveis", explica a médica.

Campos ressalta que mesmo tendo parado de fumar, a lesão pulmonar acompanha a pessoa pelo resto da vida, sendo necessário o uso de medicação de uso contínuo. "Alguns pacientes deixaram de praticar esportes, por exemplo, porque já não tem a mesma capacidade pulmonar", menciona.

Para a otorrinolaringologista, o cigarro eletrônico está longe de ser algo inofensivo. "Prefiro que meu paciente não fume nada, mas se tiver que fumar alguma coisa, prefiro que seja o cigarro tradicional do que o vape", conclui Érica Campos.