Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Saúde

Ministério da Saúde ignora Coronavac em possível acordo de compra para vacina

Alvo de disputa entre Jair Bolsonaro e João Doria, imunizante ainda não tem acordo fechado com o governo federal para produzir medicamento no país

[Ministério da Saúde ignora Coronavac em possível acordo de compra para vacina]
Foto : Governo de SP

Por Matheus Simoni no dia 23 de Novembro de 2020 ⋅ 07:58

O Ministério da Saúde deu início a uma série de reuniões com representantes de farmacêuticas que têm feito estudos clínicos para produzir vacinas contra o coronavírus. Até este final de semana, cinco empresas foram selecionadas para as conversas. No entanto, a companhia chinesa Sinovac, que produz uma vacina em parceria com o Instituto Butantan, um órgão do governo do Estado de São Paulo, ainda não foi contactada.

De acordo com o El País, a razão da exclusão não foi explicada pelos técnicos da pasta que concederam uma entrevista coletiva no último final de semana. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) iniciou uma guerra de versões com o Butantan e paralisou, por dois dias os testes por conta da morte de um voluntário. No entanto, a morte não teve relação com a vacina, já que se tratava de um suicídio. 

O Butantan pretende produzir 46 milhões de vacinas. As primeiras ficariam prontas daqui a 40 dias. O presidente do instituto, Dimas Covas, diz que se tivesse apoio do Governo Bolsonaro, o órgão teria condições de produzir 100 milhões de doses até maio de 2021. Em nota enviada à CNN Brasil, o dirigente afirmou ter estranhado o fato de o Ministério da Saúde não ter citado o órgão e o laboratório chinês Sinovac na lista de instituições com as quais a pasta informou ter avançado nas negociações. 

“Muito estranho. O Butantan já apresentou suas condições de fornecimento ao ministério e as informações técnicas. Isso foi feito em setembro. Recebemos um memorandum de intenção naquela época. Aguardamos o desenvolvimento da própria vacina que já começam a chegar”, disse Covas, em referência à Coronavac, produzida pelo instituto com o Sinovac.
 

Notícias relacionadas

[Manaus suspende vacinação temporariamente]
Saúde

Manaus suspende vacinação temporariamente

Por Adele Robichez no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:51 em Saúde

Objetivo da pausa é o replanejamento da prioridade da vacinação, já que as doses distribuídas pelo Ministério da Saúde são escassas

[USP doa 28 respiradores a Manaus]
Saúde

USP doa 28 respiradores a Manaus

Por Adele Robichez no dia 20 de Janeiro de 2021 ⋅ 08:20 em Saúde

Foram prometidos 40 equipamentos; os 12 que faltam estão em processo de fabricação e devem ser entregues assim que finalizados