Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Saúde

Governo ignorou oferta de 70 milhões de doses de vacina da Pfizer para entrega em dezembro de 2020

Segundo a nota da companhia, a primeira das três propostas recusadas para a venda dos imunizantes foi realizada em agosto de 2020

[Governo ignorou oferta de 70 milhões de doses de vacina da Pfizer para entrega em dezembro de 2020]
Foto : REUTERS/Dado Ruvic

Por Adele Robichez no dia 08 de Janeiro de 2021 ⋅ 07:40

A empresa farmacêutica Pfizer revelou, na noite de ontem (7), que fez três propostas ao governo brasileiro para aquisição das vacinas contra o coronavírus a serem entregues a partir de dezembro de 2020, mas afirma que todas foram recusadas. 

Segundo a nota da companhia, a primeira oferta para a venda dos imunizantes foi realizada em agosto de 2020. "Vale reforçar que a Pfizer encaminhou três propostas para o governo brasileiro, para uma possível aquisição de 70 milhões de doses de sua vacina, sendo que a primeira proposta foi encaminhada pela companhia em 15 de agosto de 2020 e considerava um quantitativo para entrega a partir de dezembro de 2020", comunicou.

A Pfizer diz que não pode revelar mais informações, por conta de um acordo de confidencialidade assinado com o governo no dia 31 de julho do ano passado. A empresa, porém, afirmou que os termos da proposta direcionada ao Brasil são os mesmos de outros países, inclusive de alguns que já estão vacinando com a vacina elaborada pelo laboratório.

"Países como Estados Unidos, Japão, Israel, Canadá, Reino Unido, Austrália, México, Equador, Chile, Costa Rica, Colômbia e Panamá, assim como a União Europeia e outros países, garantiram um quantitativo de doses para dar início à imunização de suas populações, por meio de acordo que engloba as mesmas cláusulas apresentadas ao Brasil", revela o comunicado.

A vacina da Pfizer ainda aguarda o registro definitivo junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Notícias relacionadas