Sábado, 27 de novembro de 2021

Saúde

União Química enfrenta resistência para liberação da vacina Sputnik V

Em relatório entregue ao STF, o diretor da Anvisa afirma que faltam documentos básicos para a autorização do uso emergencial do imunizante

União Química enfrenta resistência para liberação da vacina Sputnik V

Foto: Divulgação

Por: Luciana Freire no dia 16 de fevereiro de 2021 às 16:20

Apresentada como parte dos planos do Ministério da Saúde para imunizar toda a população até o fim deste ano, a aquisição da vacina Sputnik V, contra a covid-19, ainda é vista como distante pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A Anvisa afirma que faltam documentos básicos para a autorização do uso emergencial do imunizante desenvolvido pelo Instituto Gamaleya, da Rússia, assim como para permitir a produção no Brasil. A informação foi feita pelo pelo diretor da agência, Antônio Barra Torres, no processo que acompanha o plano de vacinação do governo no Supremo Tribunal Federal, sob a relatoria do ministro Lewandowski.

Na última quinta (11), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse ao Congresso que negocia 10 milhões de doses da Sputnik, como resposta às críticas de parlamentares por causa da lentidão na vacinação.

União Química enfrenta resistência para liberação da vacina Sputnik V - Metro 1