Saúde

Municípios fazem apelo para que médicos cubanos fiquem no Brasil

A ideia dos prefeitos é sugerir ao governo que, se for impossível reaver o pacto com Cuba, o governo faça um chamado a brasileiros formados no exterior para atuar no país sem revalidar o diploma

[Municípios fazem apelo para que médicos cubanos fiquem no Brasil]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 13:00

Representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) vão entregar um ofício à embaixada de Cuba hoje (16) com um apelo para que o país reconsidere a decisão de abandonar o programa Mais Médicos. A medida foi adotada após posicionamento de Jair Bolsonaro (PSL), eleito presidente da República, que impôs duras condições para que os cubanos permanecessem no país.

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, secretários municipais de Saúde também planejam ir à embaixada para tentar conversar com cubanos sobre os riscos da saída imediata dos médicos. A ideia dos prefeitos é sugerir ao governo que, se for impossível reaver o pacto com Cuba, o governo faça um chamado a brasileiros formados no exterior para atuar no país sem revalidar o diploma.

Em entrevista à Rádio Metrópole, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, declarou que há uma proposta formalizada para manter os médicos cubanos nas cidades da Bahia.

"Eu estou em constante contato com os demais secretários de saúde do Brasil. Encaminhei uma proposta que, eu espero que possa progredir, de os governos ou municípios que quiserem manter o programa possam manter os seus contratos diretos com a Organização Pan-Americana (Opa) de Saúde, que seja mantido o contrato com Cuba e os médicos se mantenham aqui. Os recursos que o governo federal passa hoje para a OPA sejam transferidos fundo a fundo, para o Fundo Municipal de Saúde ou Fundo Estadual de Saúde", declarou.
 

Notícias relacionadas