Saúde

Dez cidades baianas ficam sem atendimento na assistência básica com saída de médicos cubanos, diz Sesab

Estado recebe hoje 10% do total de profissionais da saúde de Cuba no Brasil

[Dez cidades baianas ficam sem atendimento na assistência básica com saída de médicos cubanos, diz Sesab]
Foto : Reuters/Jim Bourg

Por Lara Ferreira no dia 16 de Novembro de 2018 ⋅ 19:40

Dez cidades baianas vão ficar sem nenhum médico para atendimento na assistência básica com a saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos, que foi anunciada nesta semana pelo governo do país. 

Os municípios do estado em que só atuam na assistência básica médicos cubanos são Apuarema, Correntina, Central, Itagibá, Lajedão, Nova Itarana, Lafaiete Coutinho, Palmeiras, Pedro Alexandre e Nova Soure. 

A Bahia hoje recebe 10% do total de médicos cubanos do Brasil, e o número fica atrás apenas de São Paulo, que abriga 16%. Com isso, o estado do nordeste possui 846 desses profissionais da saúde, que atendem em 317 dos 417 municípios. 
 
De acordo com o G1, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) aponta que a retirada antecipada dos médicos representa "grave ameaça para municípios baianos". "Com a atuação deles, desde o início, há cinco anos, a gente percebeu uma redução do número de internações nos nossos indicadores. Hoje, com a saída deles, vai ocorrer a ampliação da demanda em pronto atendimentos e de internações hospitalares, caso não se tenha a substituição desses médicos a curto e médio prazo. A longo prazo, é catastrófico", declarou Cristiano Soster,  diretor de atenção básica da Sesab.

Notícias relacionadas